Eslováquia planeja separar as crianças romani de suas famílias

A Amnesty International advertiu que estabelecer internatos para meninos e meninas romani  [ciganos] “e separá-los gradualmente de sua forma de vida atual nos assentamentos” é discriminatório e um claro ataque ao modo de vida romani.

O primeiro-ministro eslovaco, Robert Fico, afirmou hoje (8 de março) que o governo propõe um sistema no qual os menores de idade romani sejam separados dos assentamentos para estudar em internatos.

“A idéia de que meninos e meninas romani devem ser separados de suas famílias e educados em internatos, quando poderiam receber educação em escolas normais próximas de suas moradias, vai claramente contra o interesse superior dos menores. Tirá-los de seu ambiente e separá-los de suas famílias é um atentado contra a sua identidade”, disse Halya Gowan, diretora do Programa Regional da Amnesty International para a Europa e a Ásia Central.

O falto de algumas famílias romani viverem em assentamentos – como outras famílias na Eslováquia – traz dificuldades para apoiar a educação de seus filhos devido á pobreza, às barreiras idiomáticas e outros fatores que demonstram a necessidade de o governo oferecer apoio e ajuda para que superem estes obstáculos.

“Isolados do exterior, as crianças romani têm mais dificuldades para participar plenamente na sociedade eslovaca. A proposta do governo perpetuará a segregação na qual vivem atualmente. De fato, pressupõe sua oficialização”, afirmou Halya Gowan.

“A proposta do governo destoa completamente dos avanços na União Europeia. Se adotada, seria uma contravenção absoluta à legislação eslovaca e às normas internacionais de direitos humanos contra a discriminação, que são de cumprimento obrigatório pela Eslováquia”.

A Amnesty International já havia exposto motivos de grande preocupação pela discriminação e segregação dos meninos e meninas romani nas escolas eslovacas, incluindo sua escolarização em centros especiais e classes para alunos com deficiência mental.

“Em vez de estabelecer um sistema de educação paralelo baseado na origem étnica dos menores, o governo eslovaco deve concentrar seus esforços em garantir que as escolas de educação geral incluam a todas as crianças, independente de sua procedência social, idioma ou outras capacidades”, afirmou Halya Gowan.

A Amnesty International pediu ao governo da Eslováquia que aborde o problema desde sua raiz: a segregação persistente dos menores romani na educação, e que tente resolvê-lo introduzindo reformas no sistema de educação dirigidas a garantir um ensino realmente inclusivo para todos os meninos e meninas. O governo deve proporcionar o apoio necessário às famílias e aos alunos que necessitem, para que possam participar de forma eficaz e desenvolver ao máximo seu potencial dentro da educação primária geral.

Veja também:

Slovakia: Roma Children Still Lose Out: Segregation persists in Slovak schools despite new law – Campaign Digest

Nota aos jornalistas

Este trabalho é parte da campanha da Amnesty International ‘Exija Dignidade’, dirigida a pôr fim às violações dos direitos humanos que conduzem à pobreza mundial e a agravam. A campanha mobilizará pessoas de todo o mundo para exigir que governos, empresas e outros escutem as vozes de quem vive na pobreza e reconheçam e protejam seus direitos. Desejando mais informações, visitem: http://www.amnesty.org/es/demand-dignity.

Amnesty International

Comunicado à Imprensa – Índice AI: PRE01/077/2010

8 de março de 2010

Tradução livre

Anúncios
Published in: on maio 27, 2010 at 3:27 pm  Deixe um comentário  

Dança Cigana atrai público em S. Bernardo

Base teórica unida à prática habilita os alunos

O contato com componentes da cultura cigana ainda é pouco explorado, sendo tratado com receio pela maioria das pessoas. Porém, uma das vertentes dessa cultura mais conhecida, a dança cigana, pode ser encontrada por meio de aulas ministradas pelo professor Ávallos Ernandes Gutierrez de Mendonça, no bairro Demarchi, em São Bernardo. Os encontros ocorrem todas às terças-feiras, das 20:30 horas às 22:00 horas.

Na dança típica cigana, abordada neste curso, a mulher dança descalça, com saia rodada até o tornozelo, sem coreografia, direcionando-se muitas vezes pelo olhar do parceiro. “A dança cigana que ensino é típica, não coreografada. Primeiro explico historicamente sobre a cultura, para que o aluno passe a saber que o cigano é uma etnia, com características próprias, com língua (romani), com organização e costumes sociais, que trabalha, e não uma religião, como muitos acham. Depois foco na prática pela dança. Levo os alunos às festas, eventos e atividades extras”, explicou Ávallos, sobre seu método que já formou 150 alunos durante os oito anos nessa área.

Em seu trabalho, Ávallos também aplica um foco individual em cada aprendiz, mediando os bloqueios, como a timidez, com a meta no desenvolvimento humano. O público que costuma por esse curso é de faixa etária diversa, mas composto majoritariamente por mulheres. O curso é composto pela fase básica (12 meses) e pela fase avançada (24 meses). “No começo trabalho pontos específicos, como quadril, mãos e giros, depois acrescento instrumentos, dentre os quais estão o lenço, leque, pandeiro, fita, castanholas e punhal. Os alunos só se apresentam nos eventos após a conclusão do básico e de pelo menos quatro meses do avançado”, disse o professor.

Os ciganos ainda são vítimas de constante preconceito. Sobre uma das atividades extras Ávallos destacou um fato: “Nós fomos vestidos de ciganos para o shopping Metrópole, para observar como seriamos tratados pelos gadjos (não ciganos). Alguns olhavam com admiração, outros com desprezo. Durante todo o passeio fomos perseguidos por seguranças”.

Além de dar aulas, ele promove palestras e coordena o grupo Estrella de Sarah Kali, o qual já existe há oito anos. O grupo é formado por alunos e se apresentam em eventos culturais do ABC e São Paulo, como o “Revelando SP”, por meio da dança. “Geralmente o público que assiste se interessa e é bastante receptivo, como na apresentação no CAPS (Centro de Atendimento Psicosocial), no Paço”. Ávallos já ofereceu este curso gratuitamente no Juventude, pela Prefeitura de São Bernardo, até o início deste ano.

Quatro alunos desse projeto continuaram com as aulas no Demarchi, como a estudante de Psicologia, Taís Fecher Gashler. Ela pesquisa a cultura cigana desde a adolescência: “Em sites de relacionamento pude conversar com ciganos e pessoas que conhecem o tema, tanto que encontrei uma moça que faz aula comigo”. A estudante indicou para interessados no assunto o livro “Enterrem-me em pé”, da norte-americana Isabel Fonseca, sobre a história, identidade complexa e expansões dos ciganos.

Em relação aos benefícios, ela citou: “O professor trabalha em cima das nossas dificuldades, facilidades e jeito de lidar com as situações. Trabalhando o corpo, consequentemente trabalhamos nossos bloqueios”. Dentre os costumes ciganos, Taís destacou: “O que mais admiro nos ciganos é o respeito que eles têm aos idosos, pedindo conselhos, e a consideração pelas crianças, as primeiras a serem alimentadas e vestidas”.

JARIZA RUGIANO

Published in: on maio 14, 2010 at 12:04 pm  Deixe um comentário  

Troca de Família – Família Cigana e Vegana

Nas últimas duas semanas a rede de televisão Record transmitiu o programa “Troca de Família”, em que as mães de uma família cigana e de uma vegana trocaram de lugar por alguns dias. Abaixo está o primeiro vídeo, e os demais links pra assistir na íntegra.

Parte 1:

Parte 2: http://www.youtube.com/watch?v=sTh4n8lkT_4&feature=related

Parte 3: http://www.youtube.com/watch?v=gmumrmSGYiM&feature=related

Parte 4: http://www.youtube.com/watch?v=_T50b-2FfHY&feature=related

Parte 5: http://www.youtube.com/watch?v=peoVldbwwh8&feature=related

Parte 6: http://www.youtube.com/watch?v=xKj_GNKCds8

Parte 7: http://www.youtube.com/watch?v=-YFbiN3UUAY&feature=related

Parte 8: http://www.youtube.com/watch?v=uDZEo7Nx-Nc

Parte 9: http://www.youtube.com/watch?v=OosvMIgUxkU

Parte 10: http://www.youtube.com/watch?v=f_n-cHBrMfc

Imperdível!

Published in: on maio 12, 2010 at 9:08 pm  Comments (1)  

Prêmio Culturas Ciganas 2010

16 de abril de 2010 

A Secretaria da Identidade e da Diversidade Cultural do Ministério da Cultura (SID/MinC) publicou no dia 16 de abril, no Diário Oficial da União (Seção 3, páginas 18 a 21), o Edital nº 006 abrindo as incrições para o Prêmio Culturas Ciganas 2010. Os interessados têm até o dia 12 de julho para enviarem suas inscrições.

O Prêmio Culturas Ciganas 2010 está em sua segunda edição e premiará 30 iniciativas que envolvam trabalhos, individuais ou coletivos, que fortaleçam as expressões culturais ciganas. A nova edição do Prêmio Culturas Ciganas distribuirá R$ 300.000,00 em prêmios, sendo R$ 10 mil para cada iniciativa premiada.

As inscrições, para os concursos poderão ser feitas pelos Correios, por áudio, vídeo e pela internet. As inscrições online, no entanto, estarão disponíveis apenas nos próximos dias. A SID/MinC divulgará a data prevista para a implementação deste novo recurso, ainda em fase de testes.

Confira o edital e os anexos:

Edital em PDF: http://www.cultura.gov.br/site/wp-content/uploads/2010/04/edital-premio-culturas-ciganas-2010.pdf

Cartilha: http://www.cultura.gov.br/site/wp-content/uploads/2010/04/manual-premio-culturas-ciganas-2010.pdf

Inscrições on line: http://www.cultura.gov.br/site/wp-content/uploads/2010/05/tutorial-salic-web-para-editais.pdf

Informações e esclarecimentos referentes ao edital poderão ser obtidos  pelo endereço eletrônico <!–

premioculturacigana2010@cultura.gov.br ou pelo telefone/fax (61) 2024 2383, de segunda a sexta, das 9 às 18h na Secretaria da Identidade e da Diversidade Cultural.

Published in: on maio 12, 2010 at 8:34 pm  Deixe um comentário